Gordon Ramsay afirma que a abertura do seu novo restaurante foi sabotada, com cerca de cem pessoas a «reservarem» mesa, para a noite de abertura, e a não aparecerem. O chef disse que, das 140 pessoas que planearam estar presentes no «primeiro grande dia», apenas 40 honraram a reserva.
 
Gordon considera que tal atitude mostra o «nível de inveja» existente na competição entre restaurantes, e afirma que alguém «entrou no computador» para fazer uma reserva em bloco, com a finalidade de lhe arruinar a inauguração.
  «Acho que é tudo inveja. Sábado foi o nosso primeiro grande dia, tínhamos 140 reservas na agenda e 100 não apareceram. Por isso alguém entrou no computador...», disse Ramsay ao «Telegraph», falando do fracasso.

Ramsay disse, no programa de televisão «Jonathan Ross Show», que agora a equipa iria ser obrigada a reconfirmar cada mesa, depois de ter ficado frustrado com a «má disposição» mostrada.
 
Quando questionado se achava que teria sido intencional, Gordon afirmou: «Sim, foi sabotagem. É mau ver a equipa em baixo e frustrada, mas estava lá para animá-los e certificar-me de que mantínhamos o foco. Agora vamos reconfirmar cada mesa».

O  chef  não revelou quem é que suspeitava ser o rival que lhe tinha feito isto, mas deu a entender que tinha sido motivado por ciúme profissional.

O restaurante, que abriu no início deste mês, é descrito pela chefe de cozinha Maria Tampakis como tendo um «menu europeu descontraído e moderno», ideal para «brunches energéticos, almoços enquanto se anda nas compras, jantares e  cocktails  depois do trabalho».