Um ataque ao jornal satírico «Charlie Hebdo», já classificado pelo presidente francês como ato terrorista, foi captado por imagens vídeo-amador, onde o som dos disparos não deixa dúvidas sobre as intenções do comando composto por dois a três homens fortemente armado.

Os atacantes fugiram num carro depois da carnificina na redação do jornal, onde pelo menos 12 pessoas morreram e 10 ficaram feridas.