O Papa Francisco defendeu esta quinta-feira que a liberdade de expressão é um direito fundamental, que não permite «insultos à fé dos outros», acrescentando que «matar em nome de Deus» é «uma aberração».

«Não podemos provocar, não podemos insultar a fé dos outros, não podemos ridicularizá-la», disse o Papa aos jornalistas quando questionado sobre as caricaturas do semanário satírico francês, Charlie Hebdo, alvo de um atentado que causou 12 mortos, na semana passada, em Paris.


A liberdade de expressão deve «exercer-se sem ofender», disse, sublinhando que expressar-se era um «direito fundamental».

As declarações foram prestadas pelo Papa aos jornalistas no avião que o levou do Sri Lanka para as Filipinas.