Um juiz da Audiência Nacional, um tribunal especial espanhol para casos de terrorismo, vai investigar a passagem por Espanha do francês Amédy Coulibaly, que na semana passada matou uma polícia e quatro reféns num supermercado em Paris.

Fonte oficial da Audiência Nacional confirmou esta quinta-feira à Lusa que a diligência refere-se ao crime de «colaboração com organização terrorista» e visa Amédy Coulibaly (abatido pela polícia francesa na semana passada), a sua mulher, Hayat Boumeddiene, e uma terceira pessoa que terá ajudado Boumeddiene a chegar à Síria.

Coulibaly e Boumeddiene passaram o ano na capital espanhola, Madrid, onde estiveram de 31 de dezembro a 2 de janeiro, pelo que as autoridades policiais espanholas querem saber o que fizeram e com quem contactaram.