Os ataques ao jornal satírico Charlie Hebdo e a um estabelecimento judaico revelaram as falhas dos serviços de informações e de segurança franceses, considerou esta sexta-feira o Centro Simon Wiesenthal.

O rabino Marvin Hier, fundador e diretor do Centro, baseado em Los Angeles, acrescentou que milhares de imãs locais, em França, deveriam falar contra o extremismo na comunidade muçulmana.

Falando depois de quatro reféns terem sido mortos numa loja judaica, em Paris, afirmou que as autoridades francesas têm de fazer claramente melhor.