jornal satírico Charlie Hebdo



quatro reféns terem sido mortos numa loja judaica