Foi capturado o alegado autor do ataque a tiro contra os fiéis de uma igreja metodista de  Charleston, na Carolina do Sul. Dylan Roof, de 21 anos, é acusado de ter morto nove pessoas e ferido outra com gravidade. 

O atirador abriu fogo quando se realizava uma sessão de estudo da Biblía. Oito pessoas morreram dentro da igreja e outras duas foram transportadas para o hospital, onde uma não resistiu aos ferimentos.

As autoridades conseguiram identificar o suspeito graças a imagens captadas por uma câmara de vigilância à entrada do templo religioso.


Imagens no Facebook do presumível atirador mostram-no envergando um casaco com as antigas bandeiras da África do Sul e da Rodésia, dois estados onde a segregação racial esteve instituída.

Dado que o ataque visou  uma igreja frequentada por uma comunidade maioritariamente negra, a  polícia norte-americana não tem dúvidas em classificá-lo como um “crime de ódio”.

Edificada em 1816, a igreja já antes tinha sido alvo de outro ataque, em que foi incendiada e depois reconstruída.