O investidor sino-americano Charles Xue, conhecido pelas apostas em empresas de tecnologia e voz liberal nas redes sociais chinesas, encontrava-se hoje sob custódia da polícia de Pequim «para auxiliar as autoridades numa investigação», confirmaram as autoridades através da internet.

Segundo a polícia, Xue, conhecido na China pelo nome em mandarim Xue Manzi, foi colocado sob detenção administrativa na sexta-feira numa urbanização no norte de Pequim, juntamente com uma mulher de 22 anos, suspeita de um caso de prostituição, noticia a agência Efe.

«Depois de serem interrogados, os dois confessaram atos de implicação em prostituição», indicou a polícia de Pequim na sua conta de Weibo, equiparado à rede social Twitter.