A chanceler alemã, Angela Merkel, rejeita as críticas sobre a aplicação de medidas internas e que são contrárias às que ela mesmo defende para os países em crise.

Na habitual mensagem difundida todos os sábados, a chanceler referiu que algumas das medidas que fazem parte do pacto com os social-democratas estão a afetar a política geral de contenção da despesa pública e de ajustes orçamentais.

Neste sentido, a chanceler destacou que o governo federal vai ter um «deficit zero» em 2015 mas que o conjunto do Estado regista um «ligeiro superavit» nos dois últimos anos.