As duas principais operadoras privadas de telefonia móvel na Venezuela, Digitel e Movistar, anunciaram ontem que vão suspender, a partir deste sábado, os telefonemas para o estrangeiro e o uso de 'roaming' internacional.

A medida, que segundo as operadoras, têm a ver com as dificuldades das empresas para aceder a divisas (moeda estrangeira) para o pagamento dos serviços, impedirá os cidadãos que residem na Venezuela, entre eles os luso-venezuelanos, de usar os seus telemóveis durante as viagens que efetuam ao estrangeiro, entre elas a países como Portugal.

As empresas privadas do setor das telecomunicações veem-se na necessidade de suspender temporariamente os serviços de telefone de longa distancia internacional (...) pelo que pedimos desculpas pelas transtornos causados", explica um comunicado da Digitel.

O documento adianta que a medida tem lugar "em atenção à impossibilidade de estabelecer acordos com fornecedores de serviços de telefone de longa distancia internacional e 'roaming' internacional, enquanto não houver uma extensão de prazos para o pagamento de dívidas em 'divisas' (moeda estrangeira)".

Também "pela necessidade de atualizar os preços dos telefonemas internacionais em função do importante aumento do custo, como consequência da entrada em vigor" do novo tipo de câmbio, que passou de 12,80 bolívares para 276,00 bolívares para cada dólar norte-americano.

Entretanto a Movistar, filial da espanhola Telefónica na Venezuela, anunciou que não pôde ainda realizar uma ajuste no custo dos telefonemas.

A Comissão Nacional de Telecomunicações recusa o aumento dos serviços de longa distância internacional e de 'roaming' publicados pela Movistar", afirma num comunicado divulgado em Caracas.

A 9 de março último, fontes das operadoras Movistar e Digitel confirmaram à agência Lusa que os cidadãos radicados na Venezuela estavam impedidos de usar o telemóvel para ligar para Portugal, para número móveis e fixos.

Portugal não figura entre os países que constam do convénio da Movistar, para os quais se pode telefonar", disse à Lusa fonte da empresa.

Quanto à Digitel, fonte desta empresa explicou à Lusa que existia uma avaria nas ligações internacionais que impedia, desde há uma semana, ligações telefónicas para vários países, entre os quais Portugal.

Vários cidadãos portugueses disseram à Lusa estar a ter dificuldades em telefonar para Portugal e que alguns dos seus familiares, em território português, tinham também dificuldades em ligar para a Venezuela.

Alguns utentes atribuem as dificuldades à alegada falta de moeda estrangeira no país, na sequência da crise económica e financeira ocasionada pela descida dos preços internacionais do petróleo.

Na Venezuela vigora, desde 2003, um sistema de controlo cambial que impede a livre obtenção local de moeda estrangeira.