As negociações para um cessar-fogo na Síria falharam. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos adiantou esta quinta-feira que as forças do Governo de Assad e os rebeldes não chegaram a um entendimento quanto a esse propósito, na zona de Ghouta, perto de Damasco. 

As razões para o fracasso das conversações ainda são desconhecidas. Em causa, estava um cessar-fogo de 15 dias, que se esperava ser anunciado em breve para aquela região.

As negociações ainda duraram alguns dias e fora mediadas por um partido internacional, não especificado. 

Ontem, especialistas reunidos em Nova Iorque defenderam que a guerra na Síria é precisamente a "grande responsável" pelo terrorismo e que, para erradicar o Estado Islâmico, é essencial pôr fim a esse conflito. Só será possível, disseram, com um compromisso político que envolva vários países da região.

Depois dos ataques de sexta-feira, em Paris, França - tal como a Rússia -, intensificou os bombardeamentos na Síria.

François Hollande anunciou na quarta-feira que vai aos EUA e a Moscovo, para reunir-se com Barack Obama e Vladimir Putin, de modo a conseguir "a coordenação necessária e trabalhar conjuntamente nos prazos mais breves para atingir o objetivo de eliminar os terroristas".