Através de várias amostras recolhidas a 19 de fevereiro, os investigadores detetaram vestígios dos elementos químicos césio – 134 e césio – 137. Os níveis de radiação são muito baixos e não representam, pelo menos para já, uma ameaça significativa para os humanos e para os animais.

«A radioatividade pode ser perigosa e nós devemos monitorizar cuidadosamente os oceanos, depois desta que é certamente a maior libertação acidental de contaminantes radioativos para os oceanos em toda a história»

«Prevendo a disseminação da radiação, torna-se mais complexo quanto mais próximo está da costa»

Foi em março de 2011 que um terramoto e um tsunami atingiram a estação nuclear de Fukushima, forçando a saída de mais de 160 mil pessoas da cidade e contaminando a água, o ar e a terra, sendo o pior desastre nuclear do mundo desde Chernobyl, em 1986.