A Autoridade de Regulação Nuclear do Japão (NRA) aprovou esta quarta-feira a utilização de um “muro de gelo” no subsolo da central nuclear de Fukushima para ajudar a conter derrames de água contaminada para o oceano Pacífico.

Isto significa que a operadora da central, a Tokyo Electric Power (TEPCO), poderá dar início já na quinta-feira ao processo, que sofreu uma série atrasos, para congelar o subsolo em torno dos edifícios dos quatro reatores mais afetados pelo terramoto e tsunami de 11 de março de 2011.

“Esta operação supõe um desafio, e é preciso levá-la a cabo com extremo cuidado e dispondo de todos os dados necessários [para o seu seguimento]”, disse o presidente da NRA, Shunichi Tanaka, no final da reunião realizada hoje, em declarações reproduzidas pela NHK.