Um tribunal japonês condenou a «Tokyo Electric Power Company» (TEPCO), operadora da central nuclear de Fukushima, a pagar uma indemnização pelo suicídio de uma mulher que foi realojada após o acidente nuclear de 2011.

A TEPCO terá de pagar 49 milhões de ienes (cerca de 358 mil euros) à família da mulher, naquele que é o primeiro caso em que a justiça nipónica impõe uma indemnização à companhia elétrica por um suicídio relacionado com o desastre nuclear que ocorreu depois do sismo e tsunami de março de 2011.

O caso chegou ao tribunal depois do marido da mulher, identificada como Hamako Watanabe, e outros três familiares, terem reclamado uma compensação de 91 milhões e ienes (664 mil euros), revelou a agência Kyodo.