A Federação Russa vai fornecer à África do Sul reatores nucleares, cujo total pode atingir os oito, até 2023, a um custo estimado entre «40 a 50 mil milhões de dólares» (31 a 39 mil milhões de euros).

A informação foi prestada pela agência russa de energia atómica (Rosatom), que situou o fornecimento no quadro da parceria estratégica sobre a energia nuclear estabelecida entre os dois Estados.

A entrega destes reatores vai permitir a entrada em serviço da primeira central nuclear no continente africano assente em tecnologia russa e deve conduzir a encomendas às empresas locais que devem atingir os 10 mil milhões de dólares.