Tsang Tsz-Kwan, chinesa, é uma estudante de 20 anos que aprendeu a ler braille com os lábios. É cega, e ao contrário da maior parte dos invisuais, não pode ler com os dedos os pontos de braille, por causa de uma insensibilidade que a impede.

Apesar as suas limitações, a jovem não desistiu e encontrou, na boca, a alternativa para o problema.

«No primeiro ano, reparei que ela sempre teve uma aprendizagem à frente», disse Mee-Lin Chiu, professora na escola para cegos Ebenezer, citada pela «CNN».

De facto, os lábios, língua e as pontas dos dedos são mais sensíveis à discriminação de espaços pequenos - conseguem interpretar dois pontos com uma distância de um a três milímetros.

Embora não seja a primeira a aplicar a leitura com os lábios, Tsang parece ser um caso raro. Na escola, tem notas elevadas e facilidade na aprendizagem.

«É a primeira vez que ouço falar de alguém a ter tanto sucesso usando os lábios para ler», referiu Diane Wormsely, professora especializada em invisuais na Universidade da Carolina do Norte.

No entanto, ler braille com os lábios tem os seus desafios. «Ninguém aceitava ao início. Hoje ainda as pessoas acham estranho», diz a jovem chinesa.

Por outro lado, muitas vezes os livros são grandes e pesados, o que dificulta a leitura também.

Apesar de tudo, Tsang diz que, mesmo assim, é abençoada por ainda ter uma maneira de aprender o mundo através da palavra escrita. Admite que ler é uma das atividades favoritas nos tempos livres.

Tsang acredita que a superação dos desafios e das dificuldades é possível através de trabalho, determinação e vontade de ir para além da zona de conforto.

«Sem a coragem para me desafiar a mim própria, não há, de certeza, possibilidade de ter sucesso», admitiu.