A população da Catalunha vive este domingo uma jornada histórica, em que poderá votar, ainda que sem qualquer efeito vinculativo, se quer que a Catalunha seja um Estado e, se sim, se quer que esse Estado seja independente.

As urnas abriram esta manhã com longas filas para votar e, para já, sem registo de incidentes.

Às 13:00, mais de um milhão e cem mil pessoas já tinham votado.

Quase 41 mil voluntários, que se inscreveram em apenas duas semanas, são os responsáveis por organizar a jornada, com uma votação contestada e travada repetidas vezes pelo Governo central espanhol.

No ato de «participação» popular podem votar todos os cidadãos catalães residentes na Catalunha ou no estrangeiro que sejam maiores de 16 anos e todos os estrangeiros que residem na região, também maiores de 16.

Foram instalados 6.695 pontos de participação, distribuídos por 1.317 locais de votos (dos quais 600 são escolas), em 942 dos 947 municípios da Catalunha.

Fora da Catalunha, haverá 19 pontos de votação, nos escritórios do Governo catalão em cidades como Paris, Londres, Nova Iorque, Sydney e São Paulo.

O presidente do Governo regional, Artur Mas, confirmou que será o Governo regional que fará a contagem dos votos e que comunicará os resultados.

Durante a jornada de domingo, estarão destacados em toda a Catalunha 2.236 efetivos dos Mossos d’Esquadra - a polícia regional - e 4.756 outros como reforço.