1.    Casamento a um sábado

Em 2011, os duques de Cambridge casaram a uma sexta-feira e o governo britânico decretou o dia como feriado nacional. Ao escolherem o mês de maio para casar, Harry e Meghan escolheram um mês com dois feriados nacionais - 7 e 28 de maio - o que significa que o governo não iria conceder mais nenhum dia de folga aos britânicos para que saíssem à rua para poder ver o casamento real. Ao casar a um sábado, o casal real permite ao público acorrer a Windsor para ver os noivos

2.    Abadia de Westminster vs Capela de São Jorge

O príncipe William é o terceiro na linha de sucessão ao trono britânico. Por essa razão, o local escolhido pelo duque de Cambridge para o casamento com Kate Middleton foi a Abadia de Westminster. No que diz respeito ao casamento do príncipe Harry, a escala será menor e, por isso, o local de casamento escolhido foi a Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, onde o príncipe foi batizado. Segundo um porta-voz do palácio de Kensington, o castelo "é um local muito especial" para Harry, acrescentando que o príncipe e a noiva passaram lá bastante tempo durante o namoro

William e Kate à saída da Abadia de Westminster

3.    De 1900 convidados para 800

O casamento de William e Kate foi um verdadeiro casamento real com toda a pompa e circunstância, tudo porque o príncipe pode vir a ser rei. Por isso mesmo, a cerimónia religiosa contou com 1.900 convidados na Abadia de Westminster. O número foi reduzido para 600 na altura do almoço, oferecido pela rainha Isabel II, no palácio de Buckingham e, quando chegou a altura do jantar, apenas 300 convidados tiveram o privilégio de ficar. O casamento de Harry e Meghan vai ser um evento mais pequeno. A Capela de São Jorge só tem capacidade para 800 pessoas. Depois da cerimónia, os convidados seguem para um brinde em St George's Hall. À noite, 300 convidados chegados marcarão presença numa receção privada oferecida pelo príncipe Carlos. 

4.   Sem convidados políticos

O casamento de William e Kate contou com vários convidados políticos e outras figuras de Estado internacionais e não só. Já para o casamento de Harry, a família real informou que não há uma lista oficial de líderes políticos entre os convidados, pelo que casal só terá convidado personalidades com quem tem ligação, como é o caso de Julia Gillard, primeira-ministra da Austrália, e John Key, primeiro-ministro da Nova Zelândia. De fora ficaram Obama, Trump e Theresa May.

Samantha e David Cameron

5.    Membros do público entre os convidados

Apesar de ser um casamento grande, o enlace de William e Kate não contou com convidados do público. Já o príncipe Harry e Meghan Markle convidaram 2640 pessoas para assistirem ao seu casamento. De acordo com a informação divulgada pelo Palácio, o público vai estar nos jardins do Castelo de Windsor e vai poder assistir à chegada do noivo, da noiva e dos seus convidados à capela de St. George, bem como à saída dos recém-casados para o cortejo que vai ocorrer após a cerimónia. 

6.    Diferentes padres

Em 2011, o casamento de William e Kate foi oficializado pelo Arcebispo da Cantuária da altura, Rowan Williams. A cerimónia foi conduzida pelo deão de Westminster, John Hall, enquanto o bispo de Londres, Richard Chartres, proferiu a homilia. Já a boda de Harry e Meghan será oficializada pelo deão de Windsor, o Reverendo David Conner e pelo Arcebispo da Cantuária, Justin Welby. No fim de semana foi ainda anunciado que o bispo Michael Bruce Curry, de Chicago, será o responsável pela homilia.

7.    Meghan quebra protocolo e faz discurso

"Ela quer ter a oportunidade de agradecer ao marido e a toda a gente que a tem apoiado", revelou uma fonte próxima da noiva do príncipe Harry ao Times. A confirmar-se, será inédito, uma vez que nenhuma noiva tomou a palavra para discursar após o casamento. A mesma fonte disse ainda que "Harry acha uma ótima ideia" que se quebre a tradição. 

8.    William casou em abril. Harry casa em maio

É tudo uma questão de agendas. Em abril, quer a Rainha quer o próprio príncipe Harry estiveram ocupados com as celebrações da Commonwealth. Já os duques de Cambridge tinham na agenda o nascimento do príncipe Louis Arthur Charles, o terceiro filho do casal. Para respeitar a agenda e garantir que Kate Middleton vai ao casamento, Harry e Meghan optaram pelo 19 de maio.

9.    Sem beijo na varanda

Ao casar em Windsor e não em Londres - como fizeram os duques de Cambridge - não haverá lugar o tradicional aceno da família à varanda do Palácio de Buckingham e, consequentemente, o beijo dos noivos. No entanto, o príncipe Harry pode seguir os passos da prima Zara Phillips - que casou em julho de 201 na Escócia - e beijar a noiva à saída da Capela de Windsor.

Um dos beijos dos duques de Cambridge na varanda do Palácio de Buckingham

10.    As carruagens e o cortejo

William e Kate deixaram o povo em delírio quando saíram da Abadia de Westminster e percorreram as ruas de Londres na charrete Imperial State Landeau, construída em 1902 para o Rei Eduardo VII, a acenar à multidão. Também Harry e Meghan se preparam para desfilar, desta vez pelas ruas de Windsor, de charrete. Os noivos escolheram duas charretes - uma para o sol e outra para a chuva - para se deslocarem entre a capela de São Jorge e o Castelo de Windsor de forma a acenar à multidão nas ruas. Uma das charretes escolhida - a Ascot Landaus - foi usada pelo príncipe Harry no casamento o príncipe William, em 2011.

Cortejo após o casamento real