Pacífico, na província mexicana de Jalisco, só mesmo o oceano que banha as estâncias balneares da região. Os últimos acontecimentos fazem crescer o risco de um ajuste de contas entre gangues rivais do tráfico de droga.

No decorrer das investigações sobre o ataque a um bar de um resort de luxo, na cidade mexicana de Porto Vallarta, a polícia concluiu que um dos indivíduos raptados é mesmo o filho do chefe do cartel de Silanoa, Joaquin “El Chapo”, um dos criminosos mais conhecidos em todo o mundo. E não está descartada a hipótese do irmão Ivan "El Chapito" Guzman também ter sido levado.

"El Chapo" Guzman foi o protagonista de uma fuga da cadeia no ano passado, que correu mundo. Voltou a ser preso de janeiro e está na cadeia de alta segurança da ciadde de Juarez, tentanto evitar ser extraditado para os Estados Unidos.

Rapto à vista armada

Na noite de segunda-feira, sete homens fortemente armados entraram no bar “La Leche” e ameaçaram todos os clientes. Segundo os investigadores, este ataque está associado a lutas entre cartéis de droga e essa poderá ser a justificação para Guzman Salazar ter sido levado pelos criminosos.

Nas primeiras horas depois do crime, as autoridades apontavam para um número de vítimas superior ao que mais tarde se apurou. Inicialmente foram apontadas entre 10 a 12 pessoas raptadas, mas depois de analisados os vídeos das câmaras de segurança e ouvidas testemunhas, o número desceu para seis reféns. Quatro já terão sido identificados.

Ajustes de contas

As provas encontradas no local apontam para o envolvimento do cartel Jalisco New Generation, um grupo criminoso ligado ao tráfico de droga que emergiu em Puerto Vallarta a partir de 2010, depois da morte do chefe local do cartel de Sinaloa, Ignacio “Nacho”.

Jesus Alfredo Guzman Salazar, de 29 anos, é filho de Joaquin (Guzman) Loera, isto foi confirmado”, afirmou o procurador regional Eduardo Almaguer em conferência de imprensa.

A relação familiar entre uma das pessoas raptadas e o barão da droga foi também confirmada por “várias agências de segurança”.

O chefe do cartel de Sinaloa está agora numa cadeia de alta segurança, no norte da cidade de Juarez, e aguarda a extradição para os Estados Unidos, depois de no ano passado ter protagonizado uma aparatosa fuga da prisão, tendo sido recapturado só em janeiro deste ano.

Para além de ser um dos criminosos mais perigosos do mundo, “El Chapo” é também uma marca registada. Depois de voltar a ser preso em janeiro e da exibição de um filme sobre a sua vida, produzido em Hollywood, a família de “El Chapo” patenteou o nome do barão, de forma a fazer render o uso de imagens suas em vários produtos como malas e camisolas.