Na visita ao homem mais poderoso do mundo, na segunda-feira, em Washington, a mulher do primeiro-ministro de Singapura usou uma mala que custou uma pechincha. A carteira de mão, em tons de azul e com dinossauros, custou cerca de dez euros. Ho Ching foi, por isso, inicialmente criticada pela sua escolha de acessórios.

Mas, como o hábito não faz o monge, a mulher do governante pode não ter escolhido uma carteira feita de materiais nobres, mas não retirou a nobreza ao gesto.

Afinal, a carteira foi desenhada por um estudante autista de 19 anos. Quando este dado foi tornado público, a opinião pública deixou de criticar Ho Ching para louvar o seu gesto e, consequência, a mala esgotou.

Segundo a escola de Singapura, contactada pela BBC, que comercializa o produto, antes vendiam 200 em quatro meses e agora venderam 200 num só dia.

Numa visita ao site de que vende online a carteira, constata-se que esta está "esgotada". 

 

Carteira está esgotada, segundo o site de vendas online