A carta escrita por Cristóvão Colombo em 1493 sobre a sua viagem para a América, que tinha sido roubada em Florença, foi devolvida a Itália nesta quarta-feira, depois de ter sido descoberta na biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.

“500 anos depois de ter sido escrita, a carta fez a mesma viagem”, disse o ministro da cultura italiano, Dario Franceschini, numa cerimónia em Roma que assinalou a entrega da missiva, agradecendo a cooperação das autoridades norte-americanas por terem devolvido “o documento precioso”.

Cristóvão Colombo escreveu a carta durante sua viagem de regresso à Europa, um ano depois de ter desembarcado nas Américas pensando que tinha chegado à Índia (1492).

Datada de 4 de março de 1493, quando chegou a Lisboa, foi escrita em espanhol e dirigida aos reis de Espanha Fernando e Isabel, que patrocinaram a viagem. Foi depois traduzida para latim e feitas cópias para distribuir pela Europa, 11 em 1493 e seis entre 1494 e 1497.

Uma dessas cópias, da primeira edição, foi roubada da biblioteca Riccardiana, em Florença, e substituída por uma carta falsificada. A data em que o roubo ocorreu não é conhecida.

Segundo a investigação, citada pela agência France Presse (AFP), que decorreu durante anos, um colecionador anónimo vendeu a carta a um alfarrabista de Nova Iorque em 1990, que a revendeu dois anos depois num leilão (por cerca de 260 mil euros) a um comprador que, por sua vez, a doou à biblioteca do Congresso em Washington.

A investigação ao roubo continua em aberto.

Desconhece-se o paradeiro da carta original.