Mais de 10 pessoas morreram este domingo na sequência de duas explosões em Galkayo, no centro da Somália, a mais de 700 quilómetros da capital Mogadíscio.

“Deram-se duas explosões em carros, que procuravam atingir a sede do governo local. Mais de 10 pessoas morreram”, disse o agente policial Mohamed Abdiqani.

O residente Hassan Abdukadir referiu ter contado mais de uma dúzia de corpos, alguns queimados de tal forma que se tornaram irreconhecíveis.

"Foi horrível. A primeira explosão foi causada por um camião carregado de explosivos. A segunda foi um minibus", afirmou, citado pela AFP.

Nenhum grupo reivindicou o atentado no imediato, mas os militantes da Al-Shabab realizam ataques frequentes contra alvos do governo com recurso a bombistas suicidas em automóveis.

Em março, também em Galkayo, membros da Al-Shabab atacaram um hotel, onde morreram seis pessoas.

A Al-Shabab é um grupo alinhado com a Al-Qaida que combate o governo de Mogadíscio e que se prevê que venha a tentar sabotar as eleições previstas para setembro e outubro.

Historicamente dividida entre dois estados federais (a Administração Interina de Galmudug e Puntlândia), a cidade de Galkayo conta com cerca de 137 mil habitantes, refletindo, de acordo com o International Crisis Group, "as linhas mais profundas que separam dois clãs dominantes rivais em termos históricos".