A polícia polaca detetou uma grande quantidade de carne putrefacta numa fábrica irlandesa, no âmbito da investigação ao escândalo da carne de cavalo, noticia o jornal britânico «The Guardian».

A carne foi encontrada na fábrica Silvercrest, na Irlanda, que produzia hambúrgueres congelados adulterados com carne de cavalo para a Tesco, Aldi, Co-op e Burger King. Os investigadores analisaram o material em causa há um ano como parte da investigação oficial.

Segundo o relatório elaborado pelas autoridades polacas, havia carne já de cor verde e castanha, deliberadamente misturada com pedaços frescos, em oito paletes para distribuição.

O proprietário da fábrica já se defendeu, justificando que a carne esteve guardada durante algum tempo, enquanto aguardava a inspeção, e que a deterioração da carne deveu-se ao constante transporte e descongelação do produto, refere também o «The Guardian».

Terá sido dito aos inspetores que a carne estava em boas condições e que na revisão das paletes a serem distribuídas «não foi detetado qualquer problema». No relatório, lê-se que a carne estava embalada em caixotes pouco higiénicos, com etiquetas oficiais do veterinário, mas que estas, segundo as autoridades polacas, seriam já ilegalmente reutilizadas de outras remessas.

A inspeção decorreu na sequência do escândalo da carne de cavalo encontrada em produtos de vários supermercados e talhos em Portugal, França, Holanda, Suécia, Alemanha, entre outros países. O alimento era vendido como carne de vaca. Foram apreendidas várias toneladas de carne pronta a ser consumida.