O presidente destituído do governo regional da Catalunha emitiu esta segunda-feira a primeira mensagem pública, depois de as autoridades belgas terem decidido que, por enquanto, não vão extraditá-lo. Carles Puigdemont escreveu na rede social Twitter que fica “em liberdade e sem fiança”. O ex-presidente da Generalitat e autoproclamado chefe de Estado da República da Catalunha disse ainda que os ex-membros do governo catalão estão presos em Espanha “longe das práticas democráticas”.

Libertado e sem fiança”, escreveu esta segunda-feira Carles Puigdemont numa mensagem em catalão difundida através da rede social Twitter.

 

"Os nossos pensamentos vão para os nossos colegas injustamente presos por um Estado que está longe da prática democrática", acrescenta o mesmo texto em referência aos restantes elementos da Generalitat destituídas após a aplicação do artigo 155 da Constituição espanhola.

 

 

Carles Puidgemont e quatro ex-ministros do governo regional da Catalunha estão na Bélgica desde a semana passada e foram ouvidos no domingo, em Bruxelas, por um juiz de instrução, e colocados em liberdade sob a condição de não abandonarem a cidade. 

Além de estarem proibidos de abandonar território belga, os cinco foram obrigados a indicar uma residência fixa e têm ordens para se apresentarem "pessoalmente" sempre que forem convocados pelo tribunal ou pela polícia.

A Audiência Nacional, em Espanha, acusa os ex-membros da Generalitat, incluindo os cinco que se encontram em Bruxelas, de "rebelião, sedição, má gestão de fundos públicos e desobediência às autoridades".