A justiça espanhola deixou o aviso, mas Carles Puigdemont arriscou e viajou para Copenhaga, na Dinamarca, para participar de um debate sobre a Catalunha. O ex-presidente do governo catalão arrisca assim prisão, uma vez que a justiça espanhola avisou que vai pedir a reativação do mandado de captura europeu. 

Esta é a primeira saída de Puigdemont da Bélgica em 80 dias. O também cabeça de lista do "juntos pela Catalunha" embarcou no aeroporto de Charleroi, a 50 quilómetros de Bruxelas, acompanhado por um amigo e um segurança. 

Carles Puigdemont, que se encontra em Bruxelas desde o final de 2017, viajou para a Dinamarca num voo da companhia Ryanair que aterrou em Copenhaga às 08:20 (07:20 em Lisboa).

Puigdemont deverá discursar, esta segunda-feira à tarde, na conferência na universidade de Copenhaga, sobre a atual situação da Catalunha. Na terça-feira, deverá participar numa reunião com um grupo de deputados no parlamento dinamarquês. 

As autoridades judiciais espanholas pediram à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra o ex-presidente da Generalitat, Carles Puigdemont.

De acordo com fontes da Fiscalia Geral do Estado, contactadas pela agência de notícias EFE, o pedido de detenção foi formalizado por Pablo Llarena, juiz do Tribunal Supremo e aplica-se apenas à Dinamarca.