A vaga de calor que afeta o sul do Paquistão causou mais de 450 mortos nos últimos três dias, anunciaram esta terça-feira as autoridades locais.

A maioria das mortes foi registada em Carachi, a maior cidade do país com cerca de 20 milhões de habitantes, onde a temperatura chegou aos 45.ºC e foram registados cortes no abastecimento de eletricidade e congestionamentos na rede de água.
 

"Mais de 450 morreram por causa da onda de calor dos últimos três dias”, confirmou Sabir Memon, delegado de saúde.


As mortes acontecem no mês em que o país celebra o mês sagrado do Ramadão, durante o qual é proibido comer e beber de sol a sol.

Um médico do maior hospital de Carachi, Semi Jamali, revelou à AFP que já tratou mais de 3000 pacientes.

“Mais de 200 deles foram recebidos mortos ou morreram no hospital”, afirmou.


As altas temperaturas estão a afetar a maior cidade do Paquistão e outros distritos da província de Sind. 
  
O governo da província já declarou estado de emergência em todos os hospitais, onde a maioria das vítimas morreu vítima dos efeitos de insolação. 
  
Os efeitos do calor foram potenciados pela falta de energia que afeta a distribuição de água na cidade, uma metrópole com cerca de 20 milhões de habitantes.