logotipo tvi24

Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redacção / CM    |   2013-03-07 01:03

Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.

Partilhar

Islândia: vulcão Bardarbunga entrou em erupção
Alerta para a aviação subiu para laranja, o mais grave numa escala de cinco
Ucrânia: Merkel admite novas sanções contra a Rússia
Chanceler alemã está em Kiev, onde se encontrou com o presidente ucraniano, Petro Poroshenko
Iraque: dois mortos em ataque suicida
Carro armadilhado explodiu contra a sede dos serviços de informações do Ministério do Interior iraquiano
EM MANCHETE
Carteiristas roubaram dois milhões de euros
PSP recebeu mais de 5700 queixas por furtos em Lisboa. Carris é o alvo preferencial dos criminosos
Portugueses gastam 509 euros com regresso às aulas
Orçamento Retificativo: Governo reúne-se na terça-feira