logotipo tvi24

Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redacção / CM    |   2013-03-07 01:03

Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.

Partilhar

Família da menina que matou instrutor de tiro está «devastada»
Criança de 9 anos estava a ter uma aula para aprender a disparar uma metralhadora Uzi
Rússia avisa que vai reagir ao aumento da presença da NATO
Cimeira realiza-se esta quinta e sexta-feira, no País de Gales
Número dos casos de ébola «cresce todos os dias mais depressa»
O coordenador das Nações Unidas alertou para a a possibilidade de aparecerem «mais casos em mais países»
EM MANCHETE
«Eu estou de volta, Obama»
Jihadistas do Estado Islâmico divulgam novo vídeo com decapitação do jornalista Steven Sotloff. Carrasco parece ser o mesmo homem britânico
Cavaco recorda as suas palavras sobre o caso GES
«Lista de pedófilos é um incentivo à justiça popular»