logotipo tvi24

Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redacção / CM    |   2013-03-07 01:03

Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.

Partilhar

Menino pediu «família nova», mas acabou morto pela madrasta
Bernardo de 11 anos tinha avisado que ia morrer, mas ninguém o ouviu
Três norte-americanos mortos em ataque a hospital no Afeganistão
Faziam parte do «pessoal médico»
Ucrânia: Obama acusa Rússia e diz que «haverá consequências»
Presidente norte-americano deixa aviso em visita ao Japão
EM MANCHETE
Queda de muro mata três estudantes
Braga: universitários eram todos caloiros. No momento do acidente, jovens estariam envolvidos numa «guerra de cursos». Feridos já tiveram alta hospitalar
Casas de penhores: Deco levanta dúvidas à atividade
Nove mil enfermeiros abandonaram o país desde 2009