Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redação / CM    |   7 de Março de 2013 às 01:03
Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.
PUB
COMENTÁRIOS

PUB
​Passos: “Próximos quatro anos serão melhores para Portugal”

Primeiro falou Paulo Portas, vice-primeiro-ministro, depois Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro. O programa eleitoral da coligação já foi apresentado. O líder do CDS-PP apresentou três compromissos para aumentar o rendimento das famílias, entre eles a subida do quociente familiar e a reposição de escalões no abono de família. Já Passos Coelho prometeu melhorar rendimentos e combater injustiças sociais