logotipo tvi24

Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redacção / CM    |   2013-03-07 01:03

Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.

Partilhar

Adolescente morre a tentar bater recorde
Haris Suleman tentava dar a volta ao mundo em 30 dias, mas acabou por morrer quando o avião onde seguia se despenhou no Pacífico
MH17: mais 74 caixões chegaram à Holanda
Dezenas de carros funerários esperavam os corpos no aeroporto de Eindhoven
Primeiro-ministro ucraniano apresenta demissão
Rutura na coligação está na origem da demissão de Arseniy Yatsenyuk
EM MANCHETE
BES poderá recorrer à ajuda do Estado
A TVI sabe o banco está a ponderar um reforço de capital e uma das hipóteses serão os 6 mil milhões de euros que o Estado ainda dispõe
Ricardo Salgado disposto a colaborar com a justiça
Balsemão defende criação de segunda câmara parlamentar