logotipo tvi24

Fóssil de cão com 33 mil anos descoberto na Sibéria

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno

Por: Redacção / CM    |   2013-03-07 01:03

Cientistas russos descobriram, na Sibéria, um dente fossilizado de um cão doméstico que viveu há 33 mil anos, sendo um dos mais antigos alguma vez encontrado, segundo uma revista científica norte-americana.

A análise ao ADN extraído do dente permitiu determinar que se tratava de um antepassado do cão moderno, explicou Anna Druzhkova, investigadora de biologia molecular e celular e uma das principais autoras da pesquisa.

De acordo com a revista PLOS ONE, os cientistas sabem que a domesticação dos cães é mais antiga do que a agricultura, mas não conseguiram determinar exatamente quando é que cães e lobos começaram a ser duas espécies distintas.

Partilhar

Presidente boliviano procura votos «na cama»
Evo Morales acredita que os casais decidem em quem vão votar antes de irem dormir
Venezuelanos já podem escrever com a letra de Chávez
Fonte tipográfica criada por um desenhador venezuelano para utilizadores de computadores
Gaza: «Sobrevivi à última noite, estou viva»
Adolescente documentou, na sua conta de Twitter, os bombardeamentos que observava da sua janela
EM MANCHETE
«A campeã das políticas do Eurogrupo»
Santos Silva fala da escolha de Maria Luis Albuquerque para próxima Comissária Europeia
«Estamos tão dependentes da troika como estávamos»
PS: mais de 21mil simpatizantes já se inscreveram online