Patrícia Alves, de 27 anos, estava em tratamento contra um cancro na mama quando descobriu que estava grávida. De acordo com o G1, a funcionária pública brasileira decidiu então parar a quimioterapia e salvar o filho.

Depois de terem confirmado a 23 de dezembro de 2013 que iam ser pais, Patrícia e Felipe Cabrera Padovani, que se conheceram num bar em julho de 2013, trocaram alianças a 15 de março deste ano.

Tudo parecia correr bem até que, a 14 de abril, Patrícia piorou e teve de ser submetida a uma cesariana de emergência para salvar o bebé. O menino nasceu com 6 meses e está internado nos Cuidados Intensivos da unidade Neonatal. Já a mãe, que ainda viu o filho, acabou por ser transferida para o hospital onde fazia os tratamentos de quimioterapia, não resistindo ao agravamento do estado de saúde e morrendo uma semana depois.

Por causa das complicações que podiam acontecer no parto, Felipe optou por levar a mulher para um hospital privado onde estavam garantidas as melhores condições para a mãe e o bebé. Sem seguro de saúde, o pai vê-se agora a braços com uma despesa de cerca de 9 mil euros semanais. Amigos e familiares criaram uma campanha para ajudar a família, que não tem condições de arcar com as despesas médicas.