A Agência Tributária espanhola confirmou esta sexta-feira a apreensão de um pesqueiro venezuelano em águas entre as Canárias e a Madeira que transportava 5.000 quilos de cocaína, numa operação em que cinco tripulantes foram detidos, refere a Lusa.

Em comunicado, esta entidade espanhola explica que a apreensão do navio «Doña Fortuna» ocorreu às 05:57 da madrugada quando agentes da Agência Tributária a bordo do navio patrulha «Centila» da Armada espanhola abordaram a embarcação.

A bordo foram encontrados mais de 180 fardos de cocaína com pesos entre 25 e 30 quilos, que poderiam ter um valor no mercado de mais de 250 milhões de euros.

Segundo as autoridades, a droga poderia ter como destino «a costa galaico-portuguesa», podendo ser recolhida do navio pesqueiro através de uma lancha rápida que partisse da Galiza.

Isso levou a que antes da apreensão do navio tivesse decorrido uma operação de vigilância na zona, de que resultou a intercepção, na madrugada de quinta-feira, de uma lancha rápida.

Continuam em curso as investigações no intuito de detectar os tripulantes que poderiam pretender usar esta embarcação de quatro motores de grande potência.

Em comunicado, a autoridade espanhola classifica a operação como um «golpe ao narcotráfico», referindo que a embarcação e os cinco detidos deverão chegar ao porto de Las Palmas no próximo dia 05 de Março.

A abordagem da embarcação decorreu «sem incidentes», sendo a primeira vez que uma embarcação deste tipo é usada na fase de transporte de cocaína mais próximo às costas europeias.

A intercepção do navio é o «sétimo êxito operacional» de um grupo de trabalho constituído na Galiza em 2005 para combater o tráfico de drogas no Atlântico.

O trabalho desta unidade permitiu a intercepção, nos últimos quatro anos, de seis embarcações com cerca de 19 mil quilos de cocaína, num valor estimado de cerca de 1.200 milhões de euros.