Um migrante foi encontrado morto, no túnel sob o canal da Mancha. As autoridades não adiantaram as circunstâncias da morte, mas ao que tudo indica, o homem terá morrido quando tentava chegar ao Reino Unido.

Segundo a imprensa britânica, as autoridades francesas disseram que foi avistado um comboio de mercadorias que transportava migrantes, fazendo com que a circulação com destino ao Reino Unido fosse cortada, por volta das cinco da manhã.

A polícia encontrou um homem morto, mas ainda não confirmou a causa da morte.

As autoridades francesas afirmaram que o acidente forçou o encerramento de uma das seis secções do túnel, mas o tráfego ferroviário não foi interrompido.

“Cerca de 400 migrantes juntaram-se no túnel, como acontece quase todas as noites. Um conseguiu entrar num comboio de mercadorias e, infelizmente, caiu, perdendo a vida”, afirmou Gilles Debov, da Unidade da Polícia-SGP FO.


A empresa Eurotúnel, que gere o túnel, anunciou o sucedido no Twitter e recomendou aos passageiros com planos de viagem pouco urgentes que os alterassem, devido à possibilidade de atrasos.

 

Um porta-voz da empresa anunciou que “os serviços vão estar parcialmente suspensos e o corte deve afetar, principalmente, os veículos de transporte de mercadorias. Os serviços de passageiros estão a funcionar, com atrasos ligeiros”.


Esta é a segunda morte de um migrante, no espaço de duas semanas, depois de um imigrante da Eritreia ter morrido em Coquelles, em França.

O Eurotúnel é uma das empresas que aumentou as medidas de segurança para impedir a passagem de migrantes para o Reino Unido.

O túnel é a principal via de acesso ao Reino Unido a partir do continente europeu. Centenas de migrantes tentam, todos os dias, chegar ao cais de embarque, em Calais, para atravessarem o túnel. De acordo com dados da prefeitura francesa, cerca de três mil migrantes estão registados na região. Grande parte dos que tentam chegar ao Reino Unido são originários da Eritreia, Etiópia, Sudão e Afeganistão.