Um lusodescendente está entre os três detidos, em Toronto, no Canadá, por alegadamente forçarem uma menina de 14 anos à prática de serviços sexuais mantendo-a em cativeiro.

Nicholas Faria, de 19 anos, Sage Finestone, de 21, e Natasha Robitaille, de 18, foram acusados de 10 crimes, anunciou na terça-feira a polícia de Toronto em comunicado.

Segundo essa mesma nota da polícia, das acusações encontram-se crimes de confinamento forçado, tráfico de um menor de 18 anos, publicidade para serviços sexuais de outra pessoa, bem como outros crimes relacionados com o tráfico humano.

As autoridades não revelaram a descendência dos suspeitos, apenas o nome com uma fotografia, mas a agência Lusa conseguiu apurar através de uma fonte que não se quis identificar, que um dos acusados é de origem portuguesa.

No dia 27 de fevereiro, a segurança de um hotel localizado na Bay Street e Dundas Street West, em Toronto, ao responder a uma reclamação de ruídos, encontrou num quarto a menina que, alegadamente, estava confinada ao quarto há uma semana.

Os pertences da menina, incluindo o seu telemóvel, tinham-lhes sido retirados pelos alegados raptores, e o telefone do quarto do hotel estava desligado, mencionou a polícia.

Os acusados, supostamente, anunciaram os serviços sexuais através da internet e organizaram encontros entre a vítima e os clientes. A menina foi forçada a realizar serviços sexuais e entregar todo o dinheiro que recebeu dos clientes aos raptores.

No mesmo dia que os seguranças do hotel encontraram a menina, a unidade de tráfico humano e de crimes sexuais da polícia de Toronto deteve os dois homens e a mulher.

A menina de 14 anos encontra-se em segurança com a sua família, mas as autoridades acreditam que há mais vítimas, e apelaram à ajuda da população.