A polícia do Canadá afirma que 348 pessoas foram presas e cerca de 400 crianças resgatadas ao longo de três anos de investigação de pornografia infantil, avança a BBC News.

A empresa Azov Films comercializava DVD com filmes supostamente «naturistas». Numa análise aprofundada às filmagens, foi descoberto que se tratava de filmes de crianças nuas.

De acordo com a polícia, os filmes foram distribuídos - em DVD e em streaming - em 94 países.

No Canadá foram presas 108 pessoas, nos EUA foram detidas 76, e outras 164 pessoas foram detidas em outros países durante a investigação «Project Spade».

Segundo Joanna Beavan-Desjardins, inspetora da polícia de Toronto, o número de suspeitos que tiveram contacto próximo com as crianças requereu especial atenção por parte dos investigadores.

Entre os detidos encontram-se médicos, padres, professores e famílias de acolhimento, revelou ainda a inspetora.

O chefe da Azov Films, o canadiano Brian Way, de 42 anos, está sob custódia desde maio de 2011, na sequência de uma operação secreta e é acusado de pagar a pessoas para filmar crianças. Way foi acusado de 11 crimes e a empresa fechada.