A Irlanda irá referendar a liberalização da lei do aborto a 25 de maio. A data foi anunciada pelo governo e irá permitir aos eleitores pronunciarem-se sobre um dos quadros legislativos mais restritivos, em vigor na Europa.

O aborto tem sido uma das questões mais polémicas num país profundamente católico, onde a proibição completa só foi levantada em 2013, para permitir a interrupção da gravidez nos casos em que a vida da mãe esteja em perigo.

 

No referendo, os eleitores serão perguntados se desejam revogar a oitava emenda da Constituição, foi inserida em 1983, que consagra o direito igual à vida da mãe e do seu embrião, permitindo que seja o parlamento a estabelecer novas leis.