A imagem ocupa toda a lateral de um prédio e a intenção é vender calças de ganga, mas o problema fica um pouco mais acima, onde não há roupa sequer.

As opiniões dos habitantes dividem-se, entre aqueles que não gostam e os que acham que esta foi uma boa estratégia de marketing, dada a visita de Francisco a Nápoles marcada para 21 de março.

A marca Rosso di Sera esclareceu, no entanto, esta terça-feira, ao jornal «Gazzetta del Sud» que a campanha foi agendada muito antes de se saber da visita papal e lamentou as críticas de que está a ser alvo, já que nunca teve intenção de «ofender» ou «banalizar a oração».

 

Agora cabe ao Instituto de Autodisciplina Publicitária de Itália se pronunciar sobre o assunto.