Um homem foi condenado por um tribunal do Estado do Illinois a quatro penas de prisão perpétua, mais 280 anos, por ter assassinado a sua antiga namorada, bem como os dois filhos e o namorado dela.

O juiz Fernando Engelsma estava emocionado quando pronunciou a sentença de Calvin L. Carter III, de 24 anos, que não compareceu no tribunal do condado de Winnebago, segundo o RR Star.

O crime remonta a 2014 quando Carter disparou fatalmente sobre Martia Flint, de 24 anos, os filhos desta - Tyrone Smith III, de seis anos, e Tobias K. Smith, de quatro - num apartamento de Rockford. Matou também Demontae Rhodes, com 24 anos.

O juiz classificou os assassínios como “frios e calculados”, considerou que “as crianças foram executadas” e que, por isso, “isto não foi apenas um assassínio”.

O advogado de defesa de Carter, argumentou que o caso foi construído sobre provas circunstanciais, apresentou imediatamente um recurso.

Carter, que tinha sido condenado em julho em 133 pontos da acusação, dispensou o seu direito a ouvir a sentença e não apresentou uma declaração escrita para ser lida em tribunal.

Os procuradores pediram duas penas perpétuas e o advogado de defesa não apresentou qualquer proposta.

A mãe de Flint, Rolanda Collins, declarou durante o seu depoimento que queria Carter preso para sempre.

Que os mesmos demónios que adoraste te aterrorizem a alma no inferno", afirmou Collins, sobre Carter.

Os procuradores afirmaram que Carter matou os quatro depois de Martia Flint ter acabado o relacionamento que tinham, para retomar uma relação com Demontae Rhodes.