Os combatentes do Estado Islâmico (EI) conseguiram o controlo de uma vasta zona no nordeste da Síria, fronteiriça com o Iraque, depois da adesão de várias fações até agora rivais ao seu proclamado «califado».

O EI controla o leste da província síria de Deir al Zur, onde assumiu o controlo da localidade de Al Mayadín e do campo de petróleo de Al Omar, o maior da Síria.

Com os desenvolvimentos de quinta-feira, o EI passou a controlar uma zona na Síria equivalente a cinco vezes a superfície do Líbano, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os ganhos mais recentes foram possibilitados pela retirada da Frente Al Nusra, filial da Al-Qaeda na Síria, e de outros grupos insurretos em outras zonas, que anunciaram o fim dos seus combates com o EI, que decorriam desde janeiro, por o criticaram pelas suas práticas em relação à população.

Num vídeo colocado na internet, um porta-voz dessas organizações exprimiu o seu «arrependimento» por terem combatido o EI em Deir al Zur, pediu «julgamento sob a lei de Alá» e solicitou ao EI que envie combatentes para essas áreas, depois da retirada dos seus milicianos.