As prostitutas de Zurique apelaram esta quinta-feira às autoridades da cidade para porem cobro ao clima de repressão policial de que dizem ser vítimas desde que abriu, há quatro meses, a primeira «caixa de sexo» criada para segurança das trabalhadoras.

Cerca de 200 prostitutas enviaram, com o apoio de organizações como o Exército de Ajuda contra a SIDA, uma carta à câmara de Zurique pedindo que acabe com o «clima de insegurança e medo» que prevalece nas ruas, de acordo com o relato da AFP.

Cabines para fazer sexo instaladas na rua

No final de agosto, Zurique criou um sítio específico para que os automobilistas pudessem recorrer aos serviços das prostitutas de forma segura, a chamada «caixa de sexo», proibindo também a prática da prostituição fora deste local conhecido pela prática da prostituição, recorda a Lusa.