África pode perder 20 por cento da sua população de elefantes nos próximos 10 anos se o nível de caça ilegal no continente se mantiver, revelam dados divulgados esta segunda-feira no Botsuana.

Os dados, da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), foram divulgados em Gaborone, onde decorre uma reunião com responsáveis políticos e especialistas para discutir medidas para travar a caça furtiva de elefantes, incentivada por um aumento da procura de marfim na Ásia.

John E. Scanlon, secretário-geral da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas, considerou, citado no site do jornal The Guardian, que «a caça furtiva de elefantes em África continua demasiado elevada e poderá levar em breve à extinção em determinadas zonas, se se mantiverem as atuais taxas de matança».