O Japão retomou esta terça-feira o programa de caça às baleias. O ministro da Agricultura, Pesca e Política Florestal japonês, Hiroshi Moriyama, considerou que o controverso programa é indispensável para a investigação científica destes cetáceos.

A declaração do ministro acontece no dia em que quatro barcos japoneses zarparam de vários portos com o objetivo de pescar 333 baleias Minke no Oceano Antártico.

O ministro nipónico garantiu que as capturas que recomeçam fazem parte de um programa científico que respeita a lei internacional e que se vai estender até março do próximo ano.

O programa de pesca tinha sido interrompido em 2014 depois de o Tribunal Internacional de Justiça ter obrigado o país a reduzir o número de cetáceos pescados e colocado em causa os "fins científicos" da pesca.

A organização ambiental Sea Shepherd, que durante anos realizou várias campanhas contra a caça no Antártico, já se manifestou contra o recomeço do programa.