O júri do prémio da Fundação Mo Ibrahim, que distingue a boa governação em África, decidiu, pelo segundo ano consecutivo, não atribuir o prémio este ano, anunciou esta segunda-feira, em comunicado, a fundação.

«Depois de uma cuidada análise, o júri decidiu não atribuir o prémio de boa governação», disse o presidente do júri, Salim Ahmed Salim, antigo primeiro-ministro da Tanzânia.

«Este prémio pretende homenagear antigos chefes de Estado ou de Governo que, durante o mandato, desenvolveram um trabalho de excelência na liderança do país, e ao fazê-lo, apresentam-se como exemplos a seguir pela geração seguinte», acrescentou, de acordo com o comunicado da fundação.

Cabo Verde desceu para o terceiro lugar no índice Ibrahim de Governação Africana de 2012, que avalia fatores como a educação, saúde, segurança, direitos humanos, desenvolvimento e economia de 52 países, divulgado hoje.

O arquipélago somou 76,7 pontos, num total de 100, contra 77,2 em 2012, confirmando uma tendência de descida do ano anterior na avaliação, feita pela Fundação desde 2006.

Ao segundo lugar ascendeu o Botsuana (77,6 pontos), enquanto no topo da lista continuam as ilhas Maurícias, país classificado com os mesmos 82,9 pontos do ano passado.