O aeroporto de Sofia, na Bulgária, foi esta terça-feira parcialmente evacuado, após um alarme de bomba.

Uma carrinha branca, parada há horas no aeroporto, chamou a atenção das autoridades e o sinal dado por um dos cães treinados para a deteção de explosivos, fez soar as campainhas de alarme e fechar parcialmente o aeroporto por questões de segurança. Também os voos, de e para Sofia, estão a sofrer atrasos.

Ao longo das últimas horas, o fluxo de informação tem sido contraditório. Inicialmente, o aeroporto de Sofia emitiu um comunicado a informar de que tinham sido detetados explosivos no veículo, mas essa informação foi, mais tarde retirada. Falou-se de um saco que conduziu a suspeitas no interior da viatura e o canal de televisão local filmou um robot a pegar a bagagem suspeita.
 
Em declarações ao mesmo Kanal 3, traduzidas pelo jornal Independent, a polícia fez saber que não havia evidências de explosivos a bordo da viatura, mas que, não podiam ignorar os alertas dados pelo cão.

O que se sabe é que a polícia acabou por rebentar a porta traseira da carrinha e que os investigadores continuam no local, eventualmente, numa caça à bomba.

Aquele terminal do aeroporto está encerrado, pelo menos, até à meia-noite, sendo os voos desviados para o terminal 2.

O carro, com matrícula belga, foi deixado, de madrugada, num dos parques de estacionamento do aeroporto, por um indivíduo “sem aparência búlgara”, de acordo com testemunhas.

Na Bélgica, de onde terão partido alguns dos alegados terroristas, autores dos atentados de Paris de 13 de novembro, um distrito de Bruxelas tem sido passado a pente fino em busca do jihadista que não se terá feito explodir naquela noite, na capital francesa.

A Bélgica viveu alguns dias em estado de emergência, com comércio e escolas fechados e transportes públicos parados. A França continua em estado de emergência depois de 130 pessoas terem morrido numa noite de folia, no coração de Paris.