As autoridades húngaras intercetaram na sexta-feira 3.023 refugiados que tentavam entrar de forma ilegal no país, enquanto na estação Keleti, em Budapeste, milhares aguardam pela sua oportunidade para entrar num comboio com destino à fronteira da Áustria.

A informação foi avançada este sábado pela televisão pública M1, que lembra que nos últimos dias milhares de refugiados têm subido a bordo de comboios que os levam para cidades fronteiriças, como Hegyeshalom ou Sopron, de onde seguem depois a pé até à Áustria, movidos pelo sonho de conseguir chegar à Alemanha.

Só na sexta-feira, cerca de três mil pessoas foram transportadas em autocarros desde Nickelsdorf, que fica na fronteira entre a Áustria e a Hungria, para outras localidades austríacas.

No mesmo dia, chegaram 500 pessoas a Berlim oriundas da cidade austríaca de Salzburgo e durante a noite outras 460 pessoas terão cruzado a fronteira a pé entre a Hungria e a Áustria.

Entretanto, o primeiro-ministro da Hungria, o conservador Viktor Orbán, anunciou que na próxima semana entram em vigor novas leis para quem tentar passar de forma ilegal a fronteira, que pode ir até três anos de prisão ou cinco caso tentem entrar armados.