Bryan Singer, o realizador norte-americano que ficou conhecido pelo seu trabalho nas produções cinematográficas "X-Men" e "Os Suspeitos do Costume" foi acusado, nos Estados Unidos, de ter violado um rapaz de 17 anos, em 2003. 

Cesar Sanchez-Gusman, o autor da acusação, revelou que estava numa festa num iate em Seattle, no estado de Washington, quando o cineasta o abordou e levou para um quarto. Aí terá sido forçado a fazer sexo oral a Bryan. Depois, terá ocorrido a violação. 

Ainda segundo as declarações do jovem, Singer - que nega todas as acusações -, terá dito que era um produtor de Hollywood influente e que, por isso, poderia ajudar Gusman a construir uma boa carreira como ator, caso ele não contasse a ninguém o sucedido.

O representante do realizador revelou ao site norte-americano de entretenimento TMZ que o advogado de Gusman é o mesmo de Michael Egan, um outro homem que também acusou Singer de violação no passado e que, algum tempo depois, acabou por ser preso e julgado por fraude. 

As acusações a Bryan Singer surgem dois dias depois da notícia de que o cineasta foi despedido do filme biográfico de Freddie Mercury - que tem estreia marcada nos Estados Unidos para dezembro do próximo ano - por alegados desentendimentos com o protagonista, Rami Malek.

Nos últimos tempos, foram várias as acusações de casos de assédio sexual em Hollywood.