O FBI informou a polícia da Holanda, seis dias antes do duplo atentado em Bruxelas, dos antecedentes criminais e extremistas dos irmãos Ibrahim e Khalid El Bakraoui, os terroristas suicidas que se fizeram explodir a 22 de março no aeroporto e no metro da capital belga.

De acordo com a RTL, o ministro da Justiça da Holanda, Ard van der Steur, afirmou esta terça-feira, na Câmara dos Representantes em Haia, que a polícia federal dos EUA informou a polícia holandesa a 16 de março, e que um dia depois foram estabelecidos "contactos entre os serviços policiais da Holanda e da Bélgica".

O FBI informou a Holanda do "histórico penal" de Ibrahim El Bakraoui, um dos dois terroristas que se suicidaram no aeroporto internacional de Zaventem, e dos "antecedentes radicais e terroristas" de Khalid El Bakraoui, que cometeu um atentado kamikaze na estação de metro de Maelbeek.

LEIA TAMBÉM:

Turquia deportou um dos bombistas de Bruxelas em junho

Ministros belgas reconhecem "erros" na prevenção de atentados


Ibrahim e Khalid El Bakraoui faziam parte de uma lista dos serviços de inteligência norte-americanos, que os classificaram de "ameaça potencial", informou a semana passada a estação de televisão NBC.

A agencia EFE refere que Ard van der Steur voltou a dizer esta terça-feira, perante os deputados holandeses, que quer pedir aos norte-americanos que partilhem melhor a informação sobre as listas negras e de vigilância que têm.

A Holanda quer poder consultar de forma livre a lista dos EUA sobre combatentes estrangeiros na Síria, já tinha afirmado a semana passada o ministro da Justiça.