As autoridades belgas libertaram o jornalista Fayçal Cheffou, que tinha sido apontado pela imprensa como o terceiro terrorista do aeroporto, o homem com o chapéu. A procuradoria federal belga diz que na origem desta decisão está a falta de provas contra o jornalista freelancer.

No fim de semana, Fayçal Cheffou tinha sido apontado pela imprensa belga como um dos terroristas dos atentados de Bruxelas.

Mas a hipótese de as autoridades terem encontrado o "homem de chapéu" captado pelas câmaras de vigilância do aeroporto perdeu força esta segunda-feira de manhã, depois de a polícia belga ter feito um novo apelo no Twitter. 

Com efeito, a polícia divulgou um vídeo nesta rede social, que mostra o alegado terrorista no aeroporto de Zaventem. Na publicação, as autoridades pedem informações para identificar o suspeito.

Trata-se de um homem que veste um casaco claro e usa um chapéu, enquanto empurra um carrinho de bagagens.

Os atentados em Bruxelas, que ocorreram a 22 de março, provocaram pelo menos 35 mortos, segundo um novo balanço anunciado esta segunda-feira pela ministra da Saúde belga, Maggie De Block.