Uma turista britânica que foi encontrada sem vida, na passada quarta-feira, numa ilha popular da Tailândia, consumiu álcool e um tranquilizante, uma combinação potencialmente fatal, informou a polícia, citando dados preliminares da autópsia.

O corpo de Christina Annesley, de 23 anos, foi encontrado num bungalow em Koh Tao, no sul da Tailândia, na quarta-feira.

«Os resultados preliminares da autópsia mostram a presença de Valium e de álcool no corpo da vítima», afirmou o porta-voz da polícia tailandesa, o tenente-general Prawut Thavornsiri, em declarações à agência AFP.

«Não havia sinais de violação», disse, acrescentando que dentro de três dias serão conhecidos os resultados totais da autópsia realizada ao corpo da jovem.

A morte de Annesley ocorreu quatro meses depois de um casal britânico ter sido assassinado na mesma ilha, num caso que colocou a polícia local sob forte pressão.

Dois birmaneses foram acusados do homicídio de David Miller, de 24 anos, e de violação e homicídio de Hannah Witheridge, de 23. Mais tarde, ambos alegaram que as confissões foram obtidas sob coação.

As autoridades também foram alvo de fortes críticas por permitirem aos residentes e aos jornalistas acesso ao local do crime.

A polícia de Koh Tao disse não haver sinais de que tenha sido cometido um crime no quarto do bungalow onde a jovem foi encontrada. Contudo, na tentativa de evitar críticas relativamente à forma como estão a lidar com o caso, o corpo da turista britânica foi enviado para Banguecoque para a realização de uma autópsia completa, levada a cabo no domingo.

Na semana passada, a polícia de Koh Tao indicou ter descoberto no quarto da jovem três tipos de medicamentos, mas não drogas. O jornal britânico «The Telegraph» noticiou que a mãe da vítima, Margaret, escreveu no mural do Facebook da filha que a jovem morreu «de causas naturais».