Brincar é o verbo comum a todas as crianças, mas as formas como brincam e os brinquedos que utilizam são os mais variados que possamos imaginar. Um pouco por todo o mundo há crianças que brincam com legos, outras com bonecos, mas há também quem brinque simplesmente com garrafas de água a servir de pinos ou até com Playstations de última geração.

Frisando que "a maior parte das crianças vive no meio dos extremos", a Dollar Street quer mostrar ao mundo como brincam (e vivem) as crianças (e as suas famílias) em mais de 50 países e não só. 

Em conversa com a TVI24, Fernanda Drumond, gerente de projetos da Gapminder Foundation, explicou que o projeto surgiu na cabeça de Anna Rosling Rönnlund, fundadora da GapMinder, e do marido desta, Ola Rosling, há mais de dez anos.

Surgiu quando a Anna e o marido viajavam por Moçambique e decidiram que gostariam de mostrar ao mundo como as pessoas vivem no mundo. Mas só há três anos é que a Anna decidiu que era hora de dar início ao projeto".

E assim foi. Sem conseguir concretizar o sonho de ser a Anna a "sair pelo mundo a fotografar e tratar de tudo", a Gapminder decidiu pedir dinheiro a algumas fundações para conseguir levar o projeto avante. A ajuda veio da parte da Swedish Postcode Foundation e "com esse financiamento foi possível enviar os fotógrafos" para os países que queriam mostrar no projeto - que será lançado na sua totalidade até ao final do ano.

Recebemos a primeira leva e constatámos que precisávamos de fotos melhores. Por isso, na segunda fase do projeto - em 2014/2015 - enviamos fotógrafos profissionais e aquilo que agora se pode ver no site é uma mistura de fotos amadoras com fotos profissionais".

É através dessas mesmas fotos que o Dollar Street mostra os estilos de vida no mundo e que esse estilo se altera conforme os rendimentos, ou seja, "as famílias num nível económico parecido, não importa em que parte do mundo estejam, vivem de forma parecida".

Quando o projeto teve início o objetivo era mostrar como as pessoas vivem, as soluções que as pessoas arranjam para os problemas do dia a dia, como é que as pessoas guardam a carne, como guardam o sal... mas na realidade ainda não sabíamos como é que o projeto iria ser. O Dollar Street tem agora 250 casos no mundo inteiro, mais de 50 mil de fotografias, vídeos que mostram as pessoas a fazerem atividades do dia a dia. Essas fotos são colocadas no site e permitem entender as diferenças e as semelhanças entre as famílias. Mas o mais interessante é que as famílias num nível económico parecido, não importa em que parte do mundo estejam, vivem de forma parecida!"

E para que essa comparação seja global a próxima fase do projeto é dar a hipótese aos utilizadores de criarem uma conta e de partilharem fotografias das suas próprias casas para que possam constatar que, afinal, a casa de uma família com o mesmo rendimento noutra parte do mundo não é assim tão diferente da nossa.