Poucas horas depois de ser conhecida a vontade dos britânicos, foi criada uma petição online para pedir um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

A petição pede que a decisão de sair ou ficar no clube dos 28 seja anulada se tiver menos de 60% dos votos.

A forte afluência ao site da petição, alojado num domínio do governo britânico, tem bloqueado temporariamente o acesso. Às 9:04 o site petition.parliament.uk estava sem acesso. Perto das 12:00 as assinaturas já tinha ultrapassado a linha das 100 mil, necessárias para o assunto ser discutido no parlamento.

Até às 23:13, a petição online já conta com 359,615 assinaturas. Para ser considerada para debate no parlamento, a ideia tinha de ter cem mil subscritores.

O Reino Unido votou "Sim" à saída da União Europeia. Com todos os votos contados, o resultado final é de 51,9% para o Brexit e 48,1% para a permanência da União Europeia.

Este resultado fez-se sentir nos mercados internacionais. Só hoje, em apenas uma sessão, Lisboa perdeu 3,4 mil milhões de euros, ao acusar uma derrapagem de 6,99% no fecho dos mercados, para 4.362,11 pontos. O PSI20 atingiu hoje mínimos de 20 anos. Ou seja, nem quando Portugal pediu ajuda externa e a troika veio para Portugal tinha alcançado tão poucos pontos.

Curiosamente, Londres, capital britânica, foi a praça que menos desvalorizou. Este que é também um dos centros financeiros mais importantes do mundo acabou por cair 2,76%, mas os bancos assistiram a um verdadeiro terramoto: só o Lloyds mergulhou 21% e o Royal Bank of Scotland 18%.

Já Frankfurt recuou 6,8%, Paris 8,04%, Madrid 12,35% e Milão 12,48% (a maior queda de sempre).

Escócia admite segundo referendo sobre independência

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, afirmou que a possibilidade de um Segundo referendo sobre a independência do país está em cima da mesa, depois da votação que vai levar à saída do Reino Unido da União Europeia.

A opção de que um segundo referendo tem de estar na mesa é óbvia, e está na mesa. Penso que um referendo sobre a independência é altamente provável", disse Sturgeon, segundo a Reuters.

Sturgeon já pediu uma reunião com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, para discutir a posição do país na União.