A maioria dos britânicos (53%) manifestou-se a favor de isenção de vistos para turistas oriundos de países da União Europeia (UE), depois da saída do Reino Unido do espaço comunitário, na sequência do referendo de há um ano.

No estudo desenvolvido para a eDreams ODIGEO, empresa de viagens online do mundo, pela YouGov, empresa britânica de pesquisa de mercado, concluiu-se que 53% dos britânicos não acredita que devam ser impostos vistos a turistas comunitários, enquanto 47% teme que lhes seja imposta essa burocracia para viajarem para o estrangeiro.

Portugal é o 6.º destino de todo o mundo mais procurado pelos turistas britânicos, segundo dados apresentados pelo Turismo de Portugal, que estima que até 2019 esta procura terá um crescimento médio anual de 3,4%.

O Algarve lidera as preferências dos britânicos, (67%), seguindo-se a Madeira (20,2%) e Lisboa (8,3%).

A livre circulação prevista para cidadãos da UE deixará de vigorar a partir de 29 de março de 2019, pelo que o Reino Unido poderá impor vistos, como já o faz a pessoas de fora da comunidade europeia.

Se o sistema de visto pago for introduzido, 49% dos inquiridos defende que o preço para os viajantes europeus e para os britânicos deveria ser idêntico.

À questão sobre os motivos para que o visto para europeus fosse gratuito ou barato, 62% respondeu com o “carácter acolhedor do Reino Unido” e 58% indicou que “seria mais benéfico para a sua economia”, enquanto 56% considerou que “fomentaria um bom relacionamento com outras nações da UE”.

Os mais jovens são os mais críticos quanto à introdução de um visto pago (62% contra o total de 53% global), enquanto por local de residência os londrinos, com 80%, defendem a isenção face 62% dos escoceses. “Por outro lado, no noroeste do país, até 45% dos inquiridos apoiaria esta medida”, lê-se no comunicado divulgado pela empresa de comercialização de viagens.

Em 2016 registou-se um crescimento de 25,54% de visitas de portugueses ao Reino Unido, chegando quase ao meio milhão.

A eDreams ODIGEO inclui as marcas eDreams, GO Voyages, Opodo e Travellink e o motor de busca Liligo e está presente em 44 mercados.