O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico informou que o Reino Unido deve evocar o 50.º artigo do Tratado de Lisboa no início do próximo ano e com isso começar as negociações sobre a saída do país da União Europeia.

Boris Johnson disse ainda, à Sky News, que processo formal da saída do Reino Unido da UE não deverá ser demorado, talvez até mais célebre que os dois meses previstos.

Vamos evocar o 50.º artigo e, nesse pedido, iremos estabelecer alguns parâmetros de como nos propomos a levar isto adiante”, disse o ministro britânico em Nova Iorque.

Boris Johnson esclareceu ainda que depois de evocado o 50.º artigo do Tratado de Lisboa, o Reino Unido terá dois anos para deixar oficialmente a União Europeia.

Não acredito que iremos precisar dos dois anos. Mas logo se vê”, disse.

O caminho ainda está a ser traçado, mas o ministro dos Negócios Estrangeiros acredita que o Brexit é uma oportunidade para reforçar as transações económicas entre o Reino Unido e “os amigos” da UE, que “não vão querer pôr isso em risco”.

O Reino Unido tem de acionar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa - relativo à saída voluntária de um Estado da União Europeia -, o que desencadeará depois as negociações para estabelecer as condições para a saída de Londres da União (Brexit), na sequência da decisão aprovada no referendo realizado em maio passado.

Portugal quer ter "participação ativa" na negociação

 O Governo português quer ter uma "participação ativa" no processo de negociação, segundo as Grandes Opções do Plano para 2017. 

Isto advogando "a defesa dos direitos e interesses da comunidade portuguesa residente naquele país" e "a manutenção da dimensão estratégica do relacionamento bilateral, designadamente do ponto de vista económico".