A morte de um menino de cinco anos elevou para nove o número de crianças mortas em incêndio em creche em Janaúba, Minas Gerais, no Brasil. Com a morte do menino o número total de mortos sobe para 11 - nove crianças e dois adultos (uma professora e o agressor). 

O menino, que estava internado no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, morreu esta segunda-feira de madrugada.

Há ainda uma série de pessoas feridas, entre crianças e funcionários, sendo que 23 permanecem internadas, alguns dos quais em estado grave e ligados ao suporte básico de vida.

Segundo a Polícia Milittar, citada pelo G1, na altura em que o segurança ateou o incêndio estavam na creche 75 crianças e 17 funcionários. 

Crime premeditado?

O segurança estava afastado por problemas psicológicos e tinha ido à creche falar com a diretora.

Segundo a Polícia Militar, o homem chegou à escola e trancou três salas, segurou as crianças para que elas não saíssem, atirou álcool sobre elas e para si próprio. Logo a seguir ateou fogo. A professora que morreu ainda chegou a lutar com ele para o tentar impedir de cometer tal tragédia.

Ao G1, um agente disse ter "plena convicção de que o crime foi premeditado, ele escolheu a data de dia 5 de outubro porque o pai dele morreu no dia 5 de outubro, há três anos".